O Palacio de Justiça

O Palácio de Justiça, uma fachada que muitos conhecem através da televisão, abre suas portas para que todos possamos conhecer o lugar onde funciona o máximo tribunal do pais e ao mesmo tempo observar o prédio emblemático da cidade.
Frente à praça Lavalle, na Cidade de Buenos Aires, encontra-se um dos prédios fundamentais da Argentina: o Palácio de Justiça, sede da Corte Suprema de Justiça da Nação. Sua função vira um espaço interessante, sua arquitetura e sua história viram um lugar de especial atrativo para quem encontra-se passando pela cidade ou para qualquer portenho que decidir explorar mais um pouco da cidade.

Como parte de um projeto de colocar em valor turístico do patrimônio de Buenos Aires, o Governo da Cidade, acordando com a Corte Suprema, tem aberto a possibilidade de realizar visitas guiadas no palácio para o público geral poder acessar a esse patrimônio. Com prévia inscrição por telefone, é sexta e estamos no Hall de acesso do Palácio para realizar o percurso.

Desde a fachada do prédio apresenta-se como algo imponente. Carregado de colunas, janelas, capiteis, decorações, símbolos e arcos, o Palácio de Justiça sublinha sua própria importância. A visita práticamente começa antes de ingressar no prédio de linhas retas e estilos diferentes.
  • Máximo tribunal do pais

    Máximo tribunal do pais

  • Algo imponente

    Algo imponente

  • Estátua de justiça

    Estátua de justiça

  • Estilo do academicismo francés

    Estilo do academicismo francés

  • Símbolos que remitem à idéia de justiça

    Símbolos que remitem à idéia de justiça

No hall de acesso, é claro, recebeu-nos uma grande estátua de quase três metros de altura que representa à Justiça. Trata-se de uma obra de Rogelio Yrurtia, escultor argentino que teve sua própria versão de como deveria ser a Justiça. Aos lados do salão, as tabelas que representão a Lei acabam o conjunto.

O prédio tudo, que foi projetado no princípio do século XX, continua o estilo do academicismo francés. Achamos unidas colunas neo-clásicas com decorações rococó, tudo regido por uma rigorosa simetria e salpicado de símbolos que remitem à idéia de justiça.

A visita pelo Palácio levou-nos a conhecer lugares fundamentais do prédio, como o Salón de los Pasos Perdidos (Salão dos passos perdidos), o Patio de Honor (Pátio de Honra) e até o salão do máximo do tribunal. Entanto que percorriamos cada espaço (pátios abertos e majestosos, salas de audiências e salões mais íntimos), os guias encarregador do percurso foram contando a história do prédio e a história da Corte Suprema. À informação também somaram-se algumas reflexões e até citas literárias que permitíam que o visitante tivesse uns instantes para absorver a importância do que estava olhando.

Mas o Palácio de Justiça não é importante apénas pela sua beleza arquitetónica, senão também pelo peso da história que atravessou seu corredores. Sobre tudo nas salas de audiências conseguimos parar, inclusive sentar nos bancos de madeira, no lugar exato onde exerce-se a justiça. Visitamos, por exemplo, a sala na que levaram-se a cabo os juízos pelo caso Cromañón, onde teve que se-colocar um vidro blindado entre o lugar do úblico e o dos magistrados.

Perto do final do percorrido, ingressamos no coração do Palácio de Justiça: o escritório no que reúnem-se e realizam suas sentenças os membros da Corte Suprema. Entanto a guia explicava-nos a função desse lugar, pudimos tocar o encosto dessas cadeiras de couro, sentimos o tapete vermelho espesso baixo os nossos sapatos. Não é só uma atração turística, é o lugar em que se vive a República e a Constituição Nacional, guardião dos dereitos dos cidadãos.

Uma visita ao Palácio de Justiça implica muito mais do que a oportunidade de conhecer com mais profundidade o patrimônio histórico de Buenos Aires. Ao visitar esse palácio, estamos percorrendo o lugar no que mora a justiça.
Leia passeio completo... Marcos Rodríguez / Marcos Rodríguez

Dados úteis

Cómo chegar: Talcahuano 550

A considerar: A visita guiada é realizada apénas com somentecom inscrição prévia. As vagas são limitadas. As visitas são em espanhol. Consultar horários e datas.


Welcome Argentina - O que fazer em Cidade de Buenos Aires?

© 2003-2020 Proibida sua reprodução total ou parcial. Derechos de Autor 675246 Ley 11723