Eva, a mulher

Sem referências exageradas ao movimento peronista, o Museu Evita expõe simplesmente a vida e a mensagem de uma notável mulher da história argentina a quem a poetisa Maria Elena Walsh qualificou como “fanática, leal, desenfreada… a única que teve o luxo de coroar-se pelos sumergidos”
O museu foi inaugurado o 26 de julho de 2002, fazendo cinquenta anos da morte de Eva e está emprazado num petit hotel construido na primeira década do século XX. Em 1948, a casona da rua Lafinur foi adquirida pela Fundação de ajuda Social Eva Perón para albergar o Lar de Tránsito N° 2, um lugar que recebía a mulheres do interior do pais no seu paso por Buenos Aires.

Através de treze salas de exposição permanente e uma de exposições temporais, o museu repassa a história de Eva Duarte desde sua infância, passando pela sua juventude como atriz, depois sua vida como primeira dama junto a Juan Perón, sua luta pelos direitos cívicos femininos, a obra social desenvolvida na Fundação até a sua renúncia e morte.

A história vive-se em cada sala

Com uma correta sinalização, vídeos legendados em espanhol e inglês e agradável música ambiente, o museu exibe fotos, matérias de jornáis, objetos da época e elementos que pertenceram a Eva. Entre esses últimos, os favoritos são os vestidos da ex primeira dama, especialmente o modelo desenhado pelo modisto Paco Jamandreu.
  • Uma notável mulher da história argentina

    Uma notável mulher da história argentina

  • Os vestidos da ex primeira dama

    Os vestidos da ex primeira dama

  • A história vive-se em cada sala

    A história vive-se em cada sala

  • Imagens imperecíveis

    Imagens imperecíveis

  • Está emprazado num petit hotel

    Está emprazado num petit hotel

  • Reveja a história de Eva

    Reveja a história de Eva

Nas vitrines das diferentes salas, os visitantes podem observar, além do vestuário de gala e tailleurs de trabalho usados por Evita, sapatos, chapéus, uma máscara mortuária realizada pelo artista Juan Carlos Pallarols, o primeiro DNI argentino no nome de Eva, condecorações, elementos de uso cotidiano com as caras de Perón e Eva, traduções do livro “La razon de mi vida” (“A razão da minha vida”) a diferentes idiomas, entre outros significativos objetos.

Os muros das salas reproduzem frases de Evita, fotografias de como eram os cuartos do instituto originalmente e até pode se conhercer a cozinha que possuia o lugar graças a uma prolixa ambientação.

Os amantes da arquitetura desfrutaram o bonito pátio andaluz do ano 1923 utilizado em época do lar como lugar de recreio e lazer, entanto que os interessados na história poderão olhar fragmentos do filme “Perón, sinfonía de un sentimiento” (“Perón, sinfonia de um sentimento”), de Leonardo Favio, num auditório com capacidade para 80 pessoas.

Dentro do museu funciona o Instituto Nacional de Investigações Históricas Eva Perón, onde pode se consultar a livraria e hemeroteca. Um café-restó, que possui além ingresso independente pela rua Juan Maria Gutierrez, e uma loja de lembranças completam o conforto do lugar.

Verónica Martínez / Gentileza Museoevita.org.ar

Dados úteis

Horário: De terça a domingo e feriado das 14 às 19.30hr.

A considerar: As visitas guiadas são de terça a domingo das 14 às 19.30hr. Idiomas: espanhol, inglês, português e francês. Também podem combinar com antecipação visitas guiadas para grupos (instituições, escolas), turistas e pessoas com capacidades diferentes, incluindo cegos. O museu dispõe de elevador para uso de pessoas deficientes. Consultas podem se fazer no museu ou por e-mail pelas atividades extracurriculares que desenvolvem-se no auditório.

Contato


Welcome Argentina - O que fazer em Cidade de Buenos Aires?

© 2003-2020 Proibida sua reprodução total ou parcial. Derechos de Autor 675246 Ley 11723