Palácio das Águas Correntes

Por fora parece um palácio, mas foi construido como parte de um plano de sanidade para a cidade. Dentro continua funcionando o serviço de água. Um percurso por um pequeno museu.
Caminhando pela Av. Córdoba, ao ver esse prédio um percebe imediatamente que pertence a outra época. Extravagante e ridículo para uns, fascinante para outros, o Palácio das Águas Correntes foi símbolo da pompa da geração de ’80 e ao mesmo tempo uma peça chave para a sanidade de uma cidade que estava em pleno crescimento.

Quase como uma fruta

A construção parece continuar exclusivamente a lógica do enfeite: varandas, cores, florituras, imágens de terracota. Descansando sobre um quarteirão inteiro, há mais de cem anos que forma parte de Buenos Aires. O que muitos talvez não sabem é que foi construida com um fim prático: o emprazamento de novos tanques de água para fornecer à cidade.

A sua inauguração foi em 1894, mas a sua construção tinha começado quase dez anos antes. Do estilo ecléctico, atravessa entre a arquitetura do Segundo Império francês e certo ar centro-européu e renascentistas, encontra-se coberta por mais de 300.000 peças de terracota.
  • Uma cidade que estava em pleno crescimento

    Uma cidade que estava em pleno crescimento

  • A história do Distribuidor Gran Deposit

    A história do Distribuidor Gran Deposit

  • Shields das várias províncias

    Shields das várias províncias

  • Uma aproximação quase íntima ao passado da cidade

    Uma aproximação quase íntima ao passado da cidade

Dentro e fora

No seu centro, porém, encontram-se 180 colunas metálicas dispostas em tabuleiro para funcionar como suporte da estrutura que nos três andares superiores continha doze tanques com uma capacidade total de 72.000 toneladas de água potável.

A construção desse prédio respondia a uma clara necessidade da cidade de um melhor sistema de saneamento, de cara ao crescimento e a modernização nos que já tinha embarcado Buenos Aires. Porém, na hora de fazer um projeto, teve muito peso também a idéia de que tudo o luxo e os avanços que faziam-se na cidade (na sua maioria, esforços subterrâneos) tinham que ter pelo menos um ponto visível e ostensivo para que tanto cidadãos quanto visitantes pudessem admirar.

Com ese espirito construiu-se o Palácio das Águas Correntes.

Detalhes da modernidade

Na atualidade o Palácio continua funcionando como uma das sedes do serviço de água e saneamento da cidade. Nele tem escritórios e centros de atenção. Porém, fazendo caso da história do prédio e o patrimônio com que conta a instituição, no primeiro andar abriram-se algumas salas nas que funciona o Museu do Patrimônio.

Nele pudemos ver desde planos e maquetes até re-construções de antigos escritórios, enormes válvulas de água, antigos artefatos de banheiro e torneiras. Os cartázes informativos oferecem uma perspectiva mais ampla e aportam dados sobre o sistema de saneamento da cidade e a sua evolução.

Esse museu pode resultar atraente para quens interessem-se por esses aspetos puntuais ou técnicos. Porém, aporta também uma aproximação quase íntima ao passado da cidade e de quens moraram nela. Resulta curioso comprovar que há pouco mais de cem anos o conforto que hoje damos por certo era uma novidade, quase um luxo, e faz pensar em como seria a vida de aqueles que viveram antes do que nos.
Leia passeio completo... Marcos Rodríguez / Gentileza: Agua y Saneamientos Argentinos S.A.

Dados úteis

Tipo de tour: Museus

A considerar: Realizam-se visitas guiadas no museu em horários determinados. Consultar.

Contato

Museo del Patrimonio, Palacio Aguas Corrientes
Riobamba 750, primer piso, , Ciudad de Buenos Aires, Ciudad de Buenos Aires
Tel: +54 11-63191104
E-mail


Welcome Argentina - O que fazer em Cidade de Buenos Aires?

© 2003-2020 Proibida sua reprodução total ou parcial. Derechos de Autor 675246 Ley 11723