Museu Argentino de Ciências Naturais

Um dos museus com mais tradição da Argentina está dedicado a reviver a história natural através de salas e atividades acessíveis para todos.
É um dos museus mais tradicionais e também um dos mais antigos de Buenos Aires: fomos visitar o Museu Argentino de Ciências Naturais no Parque Centenário. Uma tarde ensolarada, caminhando normalmente pela cidade, ingressamos sem mais no passado remoto: de uma avenida da capital direto ao passado geológico, a origem da vida, os dinossauros e tudo o que rodeia hoje.

Preparado para difundir e fazer acessíveis os conhecimentos que a ciência tem descoberto acerca do passado do nosso planeta e da vida que tem se desenvolvido nele, esse museu abre as suas portas a pessoas de qualquer idade.

O Museu Argentino de Ciências Naturais Bernardino Rivadavia asume o nome desse prócer argentino porque foi ele quem inspirou o projeto que levou a que em 1812 o Primeiro Triunvirato convidara às províncias a reunir meteriais para fazer a coletânea de um museu de história natural. O projeto desse museu, então, nasceu quase ao mesmo tempo que o pais.
  • Reconstrução de esqueletos de dinossauros

    Reconstrução de esqueletos de dinossauros

  • Reviver a história natural

    Reviver a história natural

  • Baleia fin

    Baleia fin

  • Muito para descobrir e aprender

    Muito para descobrir e aprender

É claro, o museu deveu crescer e viajar muito antes de chegar à sua forma atual. A iniciativa concretou-se até 1823, da mão de Rivadavia, quem nesse então era ministro. Depois de ocupar sedes no convento de Santo Domingo, na Manzana de las Luces e na Praça Monserrat, mudou-se à sua sede atual e definitiva em 1937.

O prédio que ocupa hoje o museu foi construido específicamente para isso. Sua decoração apresenta detalhes baseados na flora e fauna local. As corujas que ladeiam as janelas do primeiro nível representam a sabedoria.

Assim que ingressamos, a primeira sala que vemos é a de geología. Achamos desde fragmentos de rochas e cristáis até maquetes dos sistemas montanhosos do pais, vitrines cheias de informação e verdadeiros meteoritos que caíram sobre o chão argentino. No fundo está o Planetário, que pode se visitar com um ingresso à parte.

Depois de atravessar o Aquário (no que observam-se diferentes exemplares vivos) e a sala dedicada à vida marinha, chegamos à sala de Melacologia (o ramal da ciência dedicado aos moluscos). Finalmente, visitamos a sala de Paleontologia.

Essa é sem dúvida a sala mais atraente desse nível e a que mais chamará a atenção dos visitantes. Com seus tetos altos e grandes janelas, é o espaço ideal para ver desdobrados em todo seu esplendor os esqueletos de dinossauros. Hervíboros, carnívoros, aquátios e terrestres, quase podemos ver eles caminhando entre nós e esticando seus compridos pescoços. Também nessa sala tem um recanto no que os mais pequenos podem brincar e escavar seus próprios fósseis.

Uma última sala antes de subir ao segundo nível está dedicada a exemplares origináis de mamíferos fósseis que habitaram o território do nosso pais.

O segundo andar aínda guarda muitas sensações: antrópodes, o mundo das plantas, anfibios e répteis, mamíferos atuais, história do museu, sons da natureza, osteologia comparada. Tem muito para descobrir e aprender.

Resulta interessante ver como o pessoal do museu está preocupado por conseguir que os conhecimentos científicos sejam algo não só acessível, senão interessante e com o que nos relacionamos de jeito direto. Não se trata únicamente das reconstruções de esqueletos (imágem muito impressionante) ou das vitrines cheias de informação ou dos painéis com os sons da natureza que cada um pode descobrir e reconhecer. Tudo está feito para compreender que a ciência não é algo abstrato ou isolado de nós. Com a ciência podemos conhecer, explorar e entender o mundo que nos rodeia, o mundo de cada dia, todas a maravilhas que muitas vezes passamos por alto.

Visitar o Museu de Ciências Naturáis significa descobrir muito mais que um museu.
Leia passeio completo...Marcos Rodríguez / Marcos Rodríguez

Dados úteis

A considerar: Além das suas extensas exposições permanentes, o museu conta com amostras temporárias que periodicamente renovam-se. Pode se visitar o Planetário, com ingresso à parte. Realizam-se visitas guiadas ao público e para grupos.

localização

Contato

Argentino de Ciencias Naturales B.Rivadavia
Av. Angel Gallardo 490 , , Ciudad de Buenos Aires, Ciudad de Buenos Aires
Tel: +54 11-49826595
E-mail


Welcome Argentina - O que fazer em Cidade de Buenos Aires?

© 2003-2017 Proibida sua reprodução total ou parcial. Derechos de Autor 675246 Ley 11723