Museu do Comic e a Caricatura

O Museu Severo Vaccaro é um museu atípico. Entre os seus ilustre personagens encontramos cómics e caricaturas do mundo da política e do espetáculo. Um lugar para grandes e pequenos.
O emblema do Museu da Caricatura Severo Vaccaro é uma cabeça de burro junto a um rei e foi criado pelo humorista e historiador Siulnas.

O museo da Caricatura nasceu no começo do século XX quase por casualidade na antiga casa de câmbio de moedas chamada Vaccaro localizada em Av. De Mayo 600. a amisade que unia a Severo Vaccaro com Eduardo Álvarez, conhecido caricaturista dessa época, fez ficar perto dos grandes desenhistas do momento e aí começou essa história que virou em museu com o passo dos anos.

Os muros da Casa Vaccaro foram povoando-se de obras às que o tempo deu de presente o valor do reconhecimento e assim viraram um lugar de culto para os amantes das caricaturas.
  • Oscar Vázquez Lucio (Siulnas)

    Oscar Vázquez Lucio (Siulnas)

  • Carlos Loiseau, Caloi

    Carlos Loiseau, Caloi

  • Um lugar para grandes e pequenos

    Um lugar para grandes e pequenos

Recém tras a morte de Severo, em 1945, seu irmão menor Vicente teve a maravilhosa idéia de criar com esa coletânea de desenhos um museu onde o sorriso fosse permanente e o humor portenho, moeda corrente.

A exposição de originais caricaturas foi crescendo à medida que os autores dos desenhos, assim como quens tinham sido caricaturizados, começaram a doar trabalhos. Mas a morte de Vicente Vaccaro levou lamentavelmente a que tempo depois a casa de câmbio fosse demolida, pelo que o material em exibição trasladou-se à casa do pai da família, na rua Estados Unidos 2100.

Mudança com muito humor

A sede capitalina de Lima 1037, onde atualmente funciona o museu, inaugurou-se em 1981 graças a Luis Fernández Vaccaro (presidente da Fundação Severo Vaccaro) e ao historiador e humorista gráfico Oscar Vázquez Lucio, mais conhecido como Siulnas. Mas a fim da década de '90 a crise económica do pais obrigou ao museu a fechar as suas portas por três anos. A colaboração de Marcelo Niño, investigador do humor gráfico e da historieta, contribuiu à reabertura desse templo do humor.

O 18 de dezembro de 2002, com a presença de 90 desenhistas de todas as épocas, entre eles Garaycochea, Dobal e Solano López, o Museu da Caricatura disse novamente “presente”. Desde aquele momento, o visitante pode percorrer as seis salas de exposição permanente com as que conta o Vaccaro viajando no tempo desde 1898 até agora.

O piso térreo está destinado às salas 1 a 3, nas que tem trabalhos de final do século XIX até a década de '60; entanto que as salas 4 a 6, no andar superior, expõem-se obras da década de '60 até a atualidade.

Nos salões tem desenhos de Mayol e Eduardo Álvarez, entre outros, com originais de portadas da revista Caras e Caretas. Também encontramos desenhos de Divito, Faruk, Lino Palacio e desenhistas mais próximos como Caloi, Quino e Landrú.

Mas o mais importante é que esse museu não tem nada de estético. De maneira periódica realizam-se homenagens aos grandes mestres do humor argentino e também existem oficinas de historietas, ilustração, caricatura, humor gráfico e as inovadoras manga (termo japonês que significa “historieta”), através dos quais as novas gerações outorgam um novo poder ao lápis e o papel.
Leia passeio completo... Pablo Etchevers / Gentileza Buenos Aires Gob.Ar

Dados úteis

A considerar: Solicite informação sobre os cursos e os dias e horários de visita. Para os amantes do gênero, recomenda-se ler o livro “Historia do humor gráfico e escrito na Argentina – séculos XIX e XX”, de Oscar Vázquez Lúcio.

Contato

Museo de la Caricatura Severo Vaccaro
Lima 1037, , Ciudad de Buenos Aires, Ciudad de Buenos Aires
Tel: +54 11-43046497


Welcome Argentina - O que fazer em Cidade de Buenos Aires?

© 2003-2020 Proibida sua reprodução total ou parcial. Derechos de Autor 675246 Ley 11723